jueves, 31 de julio de 2008

EXU INSTAURA O CONFLITO ENTRE IEMANJÁ, OYÁ E OXUM




Um dia, foram juntas ao mercado Oyá e Oxum, esposas de Xangô, e
Iemanjá. Exu entrou no mercado conduzindo uma cabra.
Ele viu que tudo estava em paz e decidiu plantar uma discórdia.
Aproximou-se de Iemanjá, Oyá e Oxum e disse que tinha um
compromisso importante com Orunmila. Ele deixaria a cidade e pediu a elas que vendessem sua cabra por vinte búzios. Propôs que ficassem com a metade do lucro obtido. Iemanjá, Oyá e Oxum concordaram e Exu partiu.
A cabra foi vendida por vinte búzios. Iemanjá, Oyá e Oxum puseram
os dez búzios de Exu a parte e começaram a dividir os dez búzios que lhe
cabiam. Iemanjá contou os búzios. Haviam três búzios para cada uma
delas, mas sobraria um. Não era possível dividir os dez em três partes
iguais. Da mesma forma Oyá e Oxum tentaram e não conseguiram dividir os
búzios por igual. Aí as três começaram a discutir sobre quem ficaria com a
maior parte.
Iemanjá disse: "É costume que os mais velhos fiquem com a maior
porção. Portanto, eu pegarei um búzio a mais".
Oxum rejeitou a proposta de Iemanjá, afirmando que o costume era
que os mais novos ficassem com a maior porção, que por isso lhe cabia.
Oyá intercedeu, dizendo que , em caso de contenda semelhante, a
maior parte caberia à do meio.
As três não conseguiam resolver a discussão. Então elas chamaram um
homem do mercado para dividir os búzios eqüitativamente entre elas. Ele
pegou os búzios e colocou em três montes iguais. E sugeriu que o décimo
búzio fosse dado a mais velha. Mas Oyá e Oxum, que eram a segunda mais
velha e a mais nova, rejeitaram o conselho. Elas se recusaram a dar a
Iemanjá a maior parte.
Pediram a outra pessoa que dividisse eqüitativamente os búzios. Ele
os contou, mas não pôde dividi-los por igual. Propôs que a parte maior
fosse dado à mais nova. Iemanjá e Oyá.
Ainda um outro homem foi solicitado a fazer a divisão. Ele contou
os búzios, fez três montes de três e pôs o búzio a mais de lado. Ele
afirmou que, neste caso, o búzio extra deveria ser dado àquela que não é
nem a mais velha, nem a mais nova. O búzio devia ser dado a Oyá. Mas
Iemanjá e Oxum rejeitaram seu conselho. Elas se recusaram a dar o búzio
extra a Oyá.
Não havia meio de resolver a divisão.
Exu voltou ao mercado para ver como estava a discussão. Ele disse:
"Onde está minha parte?".
Elas deram a ele dez búzios e pediram para dividir os dez búzios
delas de modo eqüitativo.
Exu deu três a Iemanjá, três a Oiá e três a Oxum. O décimo búzio
ele segurou.
Colocou-o num buraco no chão e cobriu com terra.
Exu disse que o búzio extra era para os antepassados, conforme o
costume que se seguia no Orun.
Toda vez que alguém recebe algo de bom, deve-se lembrar dos
antepassados. Dá-se uma parte das colheitas, dos banquetes e dos sacrifícios
aos Orixás, aos antepassados. Assim também com o dinheiro. Este é o
jeito como é feito no Céu. Assim também na terra deve ser.
Quando qualquer coisa vem para alguém, deve-se dividi-la com os
antepassados. "Lembrai que não deve haver disputa pelos búzios."
Iemanjá, Oyá e Oxum reconheceram que Exu estava certo. E
concordaram em aceitar três búzios cada.
Todos os que souberam do ocorrido no mercado de Oió passaram a ser
mais cuidadosos com relação aos antepassados, a eles destinando sempre
uma parte importante do que ganham com os frutos do trabalho e com os
presentes da fortuna.

[Lenda 24 do Livro Mitologia dos Orixás ]