jueves, 3 de julio de 2008

LENDA DE YEMONJÁ

Yemonjá, grande orixá das águas, era filha de Olokun, o senhor dos oceanos.
Era possuidora de um grande instinto maternal, que fez dela mãe de dez
filhos. Embora casada, não tinha grande apego por seu marido. Às vezes,
pensava em deixá-lo, mas ele era um homem muito importante e poderoso, e
não permitiria tal desonra. Yemonjá também pensava no bem-estar de seus
filhos, não podendo deixá-los desamparados.
Seu marido usava o poder com tirania, inclusive com sua família, tornando a
vida dela insuportável. Ela não agüentava mais se submeter aos caprichos de
um homem que ela desprezava.
Ela procurou seu pai para aconselhar-se sobre a atitude que deveria tomar.
No fundo, ela já estava decidida a fugir, mas precisava de seu apoio. Olokun
não a recriminou, pois ela era uma soberana e, como tal, não poderia aceitar
o jugo de ninguém. Ele, então, deu à sua filha uma cabaça com
encantamentos, para que ela usasse quando estivesse em perigo.
Yemonjá colocou seu plano em prática, fugindo com todos os seus filhos.
Quando ela já estava bem longe de sua aldeia, viu que estava sendo
perseguida pelo exército de seu marido. Pensou em enfrentá-los, mas eles
eram muitos e seria uma luta desleal. Yemonjá odeia os confrontos, pela
destruição que causam, já que é um orixá propagador de vida.
Quando se sentiu acuada, resolveu abrir a cabaça e pedir socorro ao seu pai.
Do seu interior escoou um líquido escuro, que, ao tocar o chão,
imediatamente formou um rio, que corria em direção ao oceano.
Foi nessas águas que Yemonjá e seu povo encontraram um caminho para a
liberdade.