jueves, 12 de febrero de 2009

Pontos Cantados


Tradicionalmente todos os povos ou raças invocavam ou invocam suas divindades, seus "deuses", suas forças ou suas Entidades espirituais através muito mais da palavra cantada do que da falada. A palavra pode movimentar poderosas forças sutis da natureza pela magia de suas vibrações dentro de certas variações do modo de cantar. Assim, é que determinadas palavras, através de um hino, mantra, cântico ou ponto, tem uma poderosa força invocatória, podendo provocar fenômenos. Também é sabido que quando entram no aspecto cantando, esse poder duplica, porque podem emitir maiores vibrações na tônica mística, religiosa e especialmente na magia. Os pontos têm uma seqüência lógica dentro de cada trabalho e na parte ritualística. Em nossa Casa temos um caminho que aproximadamente é o seguinte: 1. Ponto de abertura dos trabalhos 2. Pontos de defumação 3. Pontos de saudação às sete linhas de apresentação das Entidades da Umbanda 4. Ponto do Responsável espiritual pela Casa 5. Ponto do Encarregado pela condução dos trabalhos 6. Pontos para cada uma das entidades que se apresentam 7. Ponto de encerramento dos trabalhos Quando durante um trabalho o "Ogahm" (o encarnado que "puxa" os pontos que serão cantados) recebe um pedido de uma das Entidades que está no "Reino" para cantar um determinado ponto, geralmente é atendido prontamente, pois conforme temos presenciado em diversos casos somente os pontos cantados conseguem "levantar" o astral dos membros do grupo para que a gira não sofra solução de continuidade, predispondo todos os membros a uma concentração maior e deixando a corrente formada pelos mesmos com uma força de coesão parecida com a do começo do trabalho que é sempre maior em função do próprio cansaço e desconcentração do corpo mediúnico. Fonte: Umbanda do Brasil ( W. W. da Matta e Silva)
Extraido del Portala Fricanista