martes, 7 de octubre de 2008

UMBANDA (RAMIFICAÇÕES)

Hoje, temos varias ramificações da Umbanda que guardam raízes muito fortes das bases iniciais, e outras,
que se absorveram características de outras religiões, mas que mantém a mesma essência nos objetivos de
prestar a caridade, com humildade, respeito e fé.
Alguns exemplos dessas ramificações são:
"Umbanda tradicional" - Oriunda de Zélio Fernandino de Moraes";
"Umbanda Popular" - Que era praticada antes de Zélio e conhecida como Macumbas ou Candomblés de
Caboclos; onde podemos encontrar um forte sincretismo - Santos Católicos associados aos Orixas
Africanos";
"Umbanda Branca e/ou de Mesa" - Com um cunho espírita - "kardecista" - muito expressivo. Nesse tipo de
Umbanda, em grande parte, não encontramos elementos Africanos - Orixás -, nem o trabalho dos Exus e
Pomba-giras, ou a utilização de elementos como atabaques, fumo, imagens e bebidas. Essa linha
doutrinaria se prende mais ao trabalho de guias como caboclos, pretos-velhos e crianças. Também
podemos encontrar a utilização de livros espíritas - "kardecistas - como fonte doutrinária;
"Umbanda Esotérica" - É diferenciada entre alguns segmentos oriundos de Oliveira Magno, Emanuel Zespo
e o W. W. da Matta (Mestre Yapacany), em que intitulam a Umbanda como a Aumbhandan: "conjunto de
leis divinas";
"Umbanda Iniciática" - É derivada da Umbanda Esotérica e foi fundamentada pelo Mestre Rivas Neto
(Escola de Síntese conduzida por Yamunisiddha Arhapiagha), onde há a busca de uma convergência
doutrinária (sete ritos), e o alcance do Ombhandhum, o Ponto de Convergência e Síntese. Existe uma
grande influência Oriental, principalmente em termos de mantras indianos e utilização do sanscrito;
Outras formas existem, mas não têm uma denominação apropriada. Se diferenciam das outras formas de
Umbanda por diversos aspectos peculiares, mas que ainda não foram classificadas com um adjetivo
apropriado para ser colocado depois da palavra Umbanda.